Náutico vence Botafogo-SP e fica perto do G4

Uma noite inesquecível. Positivamente para a torcida do Náutico, e negativamente para o goleiro Darley, do Botafogo-SP. Contando com a inspiração dos atletas para chutes de fora da área, o Timbu construiu um bom placar já no primeiro tempo e garantiu mais uma vitória na Série B, se aproximando do G4 da competição, na nona colocação – torce por um tropeço da Chapecoense contra o CRB para ficar a três pontos da quarta colocação.

Já na escalação de Gilson Kleina o trunfo importante se desenhava com a volta de Jean Carlos, fundamental na movimentação alternada com Jorge Henrique no meio de campo. Era a principal alternativa do Náutico para sair da forte marcação inicial imposta pelo Botafogo-SP de Claudinei Oliveira.

Porém, com menos posse de bola, o Náutico sofria para criar, tendo com Paiva em uma cabeçada fraca a sua única finalização. Foi quando Erick abriu o placar aos 20 minutos, num belo chute de esquerda após falta na intermediária, que em curva traiu Darley.

Tentando retomar o ímpeto, o time paulista voltou a criar, mas esbarrando em Jefferson nas finalizações, enquanto o Náutico tentava aproveitar os erros na saída de bola. Numa delas, aos 32 minutos, a bola ficou com Jean Carlos na meia, e depois de um corte seco encontrou o travessão antes de entrar encobrindo o goleiro.

Lá atrás, Jefferson ainda salvaria em mais dois lances, inclusive em uma grande defesa após cabeçada no canto aos 48. Na sequência do lance, Rhaldney arriscou de longe e piorou a noite de Darley em um verdadeiro pesadelo de golaços sofridos. Primeiro do gol do volante como profissional.
2º tempo
Temendo um cenário pior, Claudinei Oliveira sacou Elicarlos, que já tinha amarelo na partida. Já o Náutico manteve a postura de esperar o adversário, e seguir castigando com a precisão ofensiva. E quase foi castigado logo aos 5 minutos, mas o forte chute de Rafinha acertou o travessão.

A pressão do Botafogo-SP continuou, enquanto o sistema defensivo do Náutico já reduzia os espaços apresentados antes, limitando a força adversária a chutes de longa distância. Numa dessas jogadas, Jeferson salvou novamente aos 22 minutos.

O Náutico sustentava o placar em branco para a defesa, até pênalti cometido por Wagninho e, agora sem chances para Jeferson, Wellington Tanque descontou aos 43. Mas parou por aí.
Ficha do Jogo
Náutico 3

Jefferson; Hereda, Rafael Ribeiro, Fernando Lombardi e Wilian Simões; Rhaldney (Djavan), Jhonnatan (Josa), Jorge Henrique e Jean Carlos (Dadá Belmonte); Erick (Wagninho) e Paiva (Salatiel). Técnico: Gilson Kleina.

Botafogo-SP 1

Darley; Jeferson, Robson, Jordan e Gilson(Guilherme Romão); Elicarlos(Naldo), Victor Bolt (Ferreira), Matheus Anjos (Dodô); Wellington Tanque, Rafinha e Ronald. Técnico: Claudinei Oliveira.

Local: Aflitos
Horário: 19h
Arbitragem: Marco Aurelio Ferreira (MG)
Assistentes: Ricardo Junio de Souza e Marcus Vinicius Gomes (ambos MG).
Gols: Erick (aos 20′ do 1ºT), Jean Carlos (aos 33′ do 1ºT) e Rhaldney (aos 48′ do 1°T)(N); Wellington Tanque (aos 43′ do 2°T).
Cartão amarelo: Paiva e Erick(N); Gilson, Elicarlos e Victor Bolt e Ferreira (B).