Diego Souza pelo Leão moldou fase artilheira no Tricolor

O grande personagem do Grêmio em 2020 atende por Diego Souza. Contratado em descrédito, o atacante hoje se consolidou como um homem quase insubstituível no time titular. Artilheiro da equipe, o camisa 29 pode creditar parte do sucesso recente à passagem pelo Sport, rival gremista nesta quinta-feira, às 19h, na Arena, pela 7ª rodada do Brasileirão.

Diego revê à noite o Leão pernambucano, clube pelo qual nutre grande carinho. E onde viveu uma transformação de meia em centroavante. A mudança de posição ganhou corpo a partir de Tite, é verdade. O técnico o convocou para a Seleção como alternativa no ataque, em 2017.

Mas a metamorfose foi referendada já por bons números no Sport. Em 2016, quando avançado circunstancialmente, foram 15 gols pelo Leão.

No ano seguinte, Diego Souza brilhou pelo Sport ao lado de André, centroavante de ofício. Foram 21 gols em 55 partidas. Foi também o período dos chamados para a Seleção, quando Tite o viu como opção para a camisa 9 amarela.

Naquela temporada, fez nove gols nas primeiras 16 partidas. Seu início no Grêmio atualmente é superior, com 10 gols no mesmo número de jogos.

Diego então se transferiu para o São Paulo para ser centroavante. No Morumbi, foram 16 gols em 51 partidas. O carimbo da confiança de Renato Portaluppi o ajudou a brilhar no Grêmio após passagem apagada pelo Botafogo.