Dívidas de clubes de futebol do Brasil superaram R$ 8 bilhões

Os clubes de futebol do Brasil fecharam 2019 com R$ 8,043 bilhões em dívidas. O número foi apresentado nesta terça-feira (28) em estudo do Itaú BBA conduzido pelo economista Cesar Grafietti, que analisou os balanços divulgados por 25 instituições esportivas do país.

Comparado a 2018, quando os débitos somados estavam na casa de R$ 6,797 bilhões, houve um crescimento de 18% em 2019. Cesar Grafietti justificou a alta ao reflexo de “gestões desastrosas, que gastam além do que podem”.

Baseado nos demonstrativos financeiros das agremiações, o economista chamou a atenção para a alta de 43% em dívidas operacionais, que englobam pendências com clubes, jogadores e agentes. O salto geral foi de R$ 1,891 bilhão, em 2018, para R$ 2,706 bilhões, em 2019.

Já as obrigações fiscais pouco aumentaram, passando de R$ 3,081 para R$ 3,184 bilhões. “Precisamos lembrar que essa dívida tem custo aceitável e prazo longo (chega até a 15 anos), e mesmo nos casos mais graves não deveria ser um problema para clubes organizados”, pontua o gestor financeiro.

Conforme a análise de mais de 300 páginas, o Atlético lidera o ranking de dívidas, com R$ 746 milhões. Em seguida aparecem Botafogo, R$ 708 milhões; Corinthians, R$ 652 milhões; e Cruzeiro, R$ 631 milhões. O América é o 17º da lista, com passivo de R$ 84 milhões.

Ranking de devedores no futebol brasileiro, segundo o Itaú BBA

1- Atlético – R$ 746 milhões

2- Botafogo – R$ 708 milhões

3- Corinthians – R$ 652 milhões

4- Cruzeiro – R$ 631 milhões

5- Vasco – R$ 567 milhões

6- Flamengo – R$ 563 milhões

7- Palmeiras – R$ 530 milhões

8- São Paulo – R$ 526 milhões

9- Athletico-PR – R$ 506 milhões

10- Internacional – R$ 443 milhões

11- Fluminense – R$ 407 milhões

12- Santos – R$ 357 milhões

13- Grêmio – R$ 238 milhões

14- Bahia – R$ 174 milhões

15- Ponte Preta – R$ 162 milhões

16- Sport – R$ 151 milhões

17- América – R$ 84 milhões

18- Vitória – R$ 77 milhões

19- Avaí – R$ 73 milhões

20- Bragantino – R$ 43 milhões

21- Paraná – R$ 41 milhões

22- Fortaleza – R$ 37 milhões

23- Goiás – R$ 24 milhões

24- Atlético-GO – R$ 19 milhões

25- Ceará – R$ 16 milhões