Estreia do São Paulo

Perto da estreia do São Paulo, Diniz se declara à Libertadores: “Muito apaixonado desde criança”
Técnico, porém, está suspenso e terá de ver o jogo contra o Binacional do camarote

Fernando Diniz está suspenso da estreia do São Paulo na Libertadores nesta quinta-feira, fora de casa, contra o peruano Binacional. Mas não poder ficar à beira do campo para comandar o Tricolor não vai diminuir o sentimento do técnico de poder debutar no torneio com um tricampeão da América.

– Libertadores tenho relação de torcedor desde criança. Joguei e vou estrear como técnico. É um grande privilégio. Sou muito apaixonado pela Libertadores desde criança. Pra mim vai ser muito legal poder estrear pelo São Paulo. Sabemos que, talvez dos times do Brasil, é o time mais identificado com esse campeonato. O torcedor tem um apreço e carinho especial – disse.

O técnico não poderá ficar no campo por conta de suspensão da época de Fluminense, na Copa Sul-Americana. O Tricolor está no Grupo D, ao lado ainda de River Plate, da Argentina, e LDU, do Equador.

– Para mim vai ser muito ruim não poder estar no campo. Sou um treinador que gosto muito de participar. Me sinto muito mais vivo quando estou na beira do campo – disse Fernando Diniz.

Antes de virar treinador, Fernando Diniz disputou a Libertadores como jogador pelo Santos, em 2005. Na ocasião, o time que tinha Robinho e o hoje comentarista Ricardinho enfrentou a própria LDU, adversária do São Paulo nesta Libertadores.

– Nunca parei para pensar no que vou dizer, mas acho que quando o São Paulo ganha a primeira Libertadores dá um salto muito grande no Brasil e no mundo. E o torcedor se sente muito parte disso, porque lembro nas primeiras conquistas, principalmente em 1992 e 1993, e quase ganhou em 1994… o torcedor invadia isso aqui (Morumbi) e empurrava o time do primeiro ao último minuto. Então ele se sente muito identificado e parte das conquistas do São Paulo – afirmou Diniz.

Diante do Binacional, o São Paulo enfrentará uma altitude de 3.800 metros acima do nível do mar. A delegação viajará de avião fretado para Bolívia e só se deslocará para Juliaca, cidade no Peru onde acontecerá a partida, no dia do jogo.

A maior dúvida é se Antony poderá começar o jogo ou ficará no banco de reservas. Ele se recupera de uma lesão no tornozelo esquerdo. Ele e Juanfran treinaram separado do grupo na última segunda-feira, no CT da Barra Funda.